sábado, 18 de junho de 2016

Estado intensifica ações de enfrentamento aos efeitos da estiagem em Pedra Branca

O Governo do Estado intensificou a construção de poços profundos para o atendimento emergencial do município de Pedra Branca, no Sertão Central. Com o esgotamento do açude Trapiá II, que abastecia a cidade, o município já recebeu 35 poços. Desse total, 16 foram construídos na sede, nove no distrito de Mineirolândia, quatro no distrito de Santa Cruz do Banabuiú, além de outros seis em pequenas localidades. “Vamos permanecer no município até atingirmos a vazão mínima emergencial necessária”, explica o secretário dos Recursos Hídricos, Francisco Teixeira. Atualmente, um comboio perfuratriz está trabalhando na cidade. Segundo ele, mesmo aqueles poços de pequenas vazões, que em tempos de bonança seriam descartados, estão sendo aproveitados com a instalação de chafarizes.

“Já instalamos cinco chafarizes em Pedra Branca. Todos em poços de baixas vazões. Dessa forma, a população tem uma fonte hídrica perto de casa para se socorrer nesse período”, diz. Já os poucos poços de boa vazão (acima de mil litros por hora) devem ser ligados à rede de abastecimento da cidade pelo Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE). A Defesa Civil Estadual doou 20 caixas d’água de cinco mil litros à Prefeitura do município para instalação de novos chafarizes.

“Essa tem sido a dinâmica: a Cogerh (Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos) faz os estudos geofísicos (locação dos poços), a Sohidra (Superintendência de Obras Hidráulicas) constrói os poços, e a Cagece ou os SAAEs instalam esses poços”, destaca o secretário. Segundo ele, essa integração tem dado resultado em várias sedes municipais que, apesar das dificuldades impostas pela prolongada estiagem, estão sendo abastecidas emergencialmente.

Outra alternativa, ainda segundo o secretário, é o emprego do carro-pipa, seja da operação tocada pelo Exército Brasileiro nas áreas rurais, seja na desenvolvida pela Defesa Civil Estadual nas sedes Municipais. “Atualmente, mesmo em Pedra Branca, um dos municípios em maior dificuldades, apenas dois distritos (Mineirolândia e Santa Cruz do Banabuiú) tem seus abastecimentos complementados pela Operação do Exército”, explica.

As ações de convivência com o semiárido foram debatidas na reunião do Comitê de Monitoramento de Ações de Enfrentamento aos Efeitos da Estiagem, nessa sexta-feira (17). O chefe de gabinete do governador, Élcio Batista, acompanha as reuniões semanais. “Desde o ano passado, governador Camilo Santana determinou esse cuidado com a questão hídrica do Estado, com mais atenção às áreas com maior vulnerabilidade. Essas reuniões semanais são fundamentais para que possamos determinar as ações específicas para cada uma das cidades. Há um cuidado especial com o abastecimento humano que é uma prioridade, mas também no que diz respeito às atividades econômicas”, destaca.

Ações de convivência com o semiárido

Uma das prioridades da gestão do governador Camilo Santana tem sido intensificar e garantir recursos e estratégias para minimizar os efeitos do quinto ano consecutivo de estiagem no Estado do Ceará. Além das ações de perfuração de poços, estudos aprofundados em áreas litorânea para captação de água subterrânea e construção de adutoras de montagem rápida, o Governo do Estado investe em ações de reuso de água e dessalinização.

Somente nos anos de 2015 e 2016, foram perfurados 1.914 poços pela Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra). Foram construídos 330 km de adutoras de norte a sul do Ceará, além de chafarizes e sistemas de abastecimento de água. Outras 10 AMRs estão em fase de elaboração de projetos por técnicos da Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra).

As novas adutoras levarão água para oito sedes municipais e sete distritos em várias regiões do semiárido, beneficiando mais de 80 mil pessoas. No total, será mais de 180 quilômetros de tubulações cortando os sertões para levar água a quem mais precisa.

Dessalinizadores
Outra ação eficaz é a instalação de dessalinizadores. Comunidades de 99 municípios cearenses contam com sistemas simplificados de abastecimento com dessalinizadores implantados pelo Governo do Estado por meio da Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra). Ao todo, 544 equipamentos capazes de garantir água de qualidade para populações de todas as regiões do Ceará, foram instalados.

O programa é complementado por um trabalho de conscientização da importância do dessalinizador, sendo assim, antes mesmo da decisão de instalação de um sistema de abastecimento d’água com dessalinizador, a comunidade recebe treinamento e capacitação sobre o uso e manutenção do equipamento. As prefeituras também participam do processo para auxiliar a comunidade neste trabalho de manutenção.

Além desses, outros 279 sistemas de abastecimento (dessalinziadores), em parceria com o Governo Federal estão beneficiando 44 municípios. A ação acontece por meio do Programa Água Doce, uma  parceira com o Ministério do Meio Ambiente (MMA). No Ceará, o programa é coordenado pela Secretaria de Recursos Hídricos, em parceria com instituições federais, estaduais, municipais e sociedade civil.

Reuso de água
O reuso de água tem sido uma estratégia promovida pelo Governo do Estado. Neste ano, a Assembleia Legislativa aprovou mensagem que isenta de ICMS todos os equipamentos que fazem o reuso de água. A mensagem, entregue pessoalmente pelo governador Camilo Santana aos parlamentares, disciplina a política estadual de reuso de água que deve ser feito de forma planejada, regulada e sustentável, garantindo as condições adequadas de proteção à saúde pública e integridade dos ecossistemas e um desenvolvimento econômico equilibrado.

Na intenção de tornar viável financeiramente o investimento no reuso de água, a proposta contempla a isenção de ICMS para produtores de água de reuso, no que se refere às aquisições de máquinas e equipamentos para construção, operação, instalação e manutenção de plantas de tratamento de água de reuso.

Atualmente, o Projeto São José III, desenvolvido por meio da Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA), desenvolve convênios para implantação de 15 sistemas de reuso de água. Estão previstos para serem implantados até o final de 2017, em uma segunda etapa, mais 70 sistemas em outras 14 comunidades do estado do Ceará. O Projeto de Reúso de Águas Cinzas é baseado na tecnologia do Bioágua Familiar, desenvolvida pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA), através do Projeto Dom Helder.

Nenhum comentário:

Postar um comentário