quinta-feira, 21 de julho de 2016

Ouvidos em Solonopole dois presos suspeitos da morte da auxiliar de escritório em Senador Pompeu

Pela manhã equipes da Polícia Civil cumpriram o mandado de busca e apreensão na residência dos suspeitos (Foto: VC Repórter)Pela manhã equipes da Polícia Civil cumpriram o mandado de busca e apreensão na residência dos suspeitos.
A Polícia Civil prendeu, na manhã desta quinta-feira (21), um empresário e um advogado suspeitos de serem os autores do assassinato de Geane Magalhães Pimenta. O crime aconteceu no último dia 1º de junho, neste Município do Sertão Central. A mulher trabalhava como auxiliar de um escritório de advocacia e foi morta no final do expediente.
Os suspeitos são pai e filho. De acordo com o delegado titular regional da Polícia Civil, Jéferson Lopes Custódio, a principal suspeita é de que eles tenham matado Geane porque ela realizava cobranças de um prédio que os dois haviam alugados para montar uma churrascaria. “O local era de propriedade do dono do escritório em que ela trabalhava e eles estavam em atraso há alguns meses e Geane era quem cobrava”, disse o delegado. O fato foi descoberto durante as investigações, dias após o crime. “Juntamos isso com as imagens de circuito interno do bairro e chegamos a essa conclusão”, falou Jéferson. O titular pediu a prisão preventiva dos dois e um mandato de busca e apreensão nos imóveis onde moravam.
Na manhã desta quinta pai e filhos prestaram depoimento na DRPC de Senador Pompeu, na companhia de uma advogado, e negaram a autoria do crime. Nos próximos dias, com a prisão dos suspeitos, o delegado acredita que poderá ouvir com mais segurança duas testemunhas que podem ser cruciais na elucidação do inquérito.
Para Jéferson Lópes Custódio, trata-se de um crime bárbaro e cercado de mistério. “não havia razão alguma uma vez que a vitima tinha uma vida pacata e religiosa e não nutria nenhum relacionamento com ninguém, descartando crime passional e nem também tinha inimigos”, concluiu.
escritorioA vítima foi encontrada morta e amordaçada no escritório onde trabalhava.

Relembre o caso - Geane Magalhães Pimenta foi morta a facadas dentro do local onde trabalhava. O caso gerou revolta em Senador Pompeu. Na época, a polícia afirmou que perto de fechar o estabelecimento, ela teria sido surpreendida por um homem que entrou no local e a matou. O corpo foi encontrado pelo dono do escritório no fim da tarde de quarta, quando voltava ao local após uma caminhada.

Geane foi encontrada pelo dono do escritório que passava pelo local na volta de uma caminhada. A mulher estava com um ano na boca. Objetos pessoas dela e pertences do escritório não foram levados o que descartava a hipótese de assalto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário