terça-feira, 20 de outubro de 2015

PERDA IRREPARÁVEL Morre aos 80 anos Edilmar Norões, diretor de programação do SVM

Jornalista e advogado foi vítima de parada cardíaca e estava internado desde o domingo (18) na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital São Mateus.

A radiodifusão cearense perde um de seus mais brilhantes e dedicados profissionais. Faleceu nesta terça-feira (20) o diretor de programação do Sistema Verdes Mares (SVM), Edilmar Norões. Ele estava internado no Hospital São Mateus desde o domingo (18), após sofrer uma queda em sua residência e ter duas paradas cardíacas. Edilmar sofria de insuficiência do coração já há alguns anos.
Antes do acidente, ele trabalhou normalmente, escreveu sua coluna política para a edição da segunda-feira (19) do jornal Diário do Nordeste, foi a um shopping com familiares e amigos, conversou, brincou, segundo conta um de seus seis filhos, Paulo César Norões. "Ele nos deixou às 8h29min, após ter mais três paradas cardíacas, sendo ressuscitado por duas vezes, na terceira não resistiu", lamenta.
Uma vida dedicada ao rádio e à comunicação. Essa foi a trajetória de José Edilmar Norões Coelho. Dos 80 anos de idade, 58 foram a serviço do Sistema Verdes Mares (SVM). Ele, com formação em Direito e Jornalismo, deixa a esposa, Lucila Maria Studart Coelho, com quem teve seis filhos, oito netos e dois bisnetos. 

O velório será realizado na funerária Ethernus (Rua Padre Valdevino 1688, Aldeota), na tarde desta terça-feira (20). A missa de corpo presente será na quarta-feira (21), às 8h, também na Ethernus, e o sepultamento acontecerá no cemitério Parque da Paz, no mesmo dia, às 10h.

Breve biografia de Edilmar Norões
Edilmar Norões nasceu no dia 11 de agosto de 1935, em Barbalha, no Cariri. Começou a carreira como radialista na Rádio Araripe, do Crato e não parou mais. Em janeiro de 1957, ingressou na Rádio Verdes Mares. Em dezembro do mesmo ano teve participação no antigo jornal Tribuna do Ceará, onde assinou uma coluna social e, logo depois, uma coluna política. Em 31 de janeiro de 1970, ajudou na implantação da TV Verdes Mares e ainda exerceu a função de diretor de programação da Rádio FM Verdes Mares. Após a inauguração do jornal Diário do Nordeste, também foi responsável por uma coluna política de sucesso. 

Presidiu por vários mandatos, a presidência da Associação Cearense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acert) e atualmente participou do conselho da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e TV (Abert). Foi membro também da Academia Cearense de Literatura e Jornalismo e presidente do Sindicato das Empresas de Jornais e Revistas do Estado do Ceará (Sindatel), onde em março deste ano foi reeleito para mais um mandato até 2018. A entidade foi fundada em 2003. 

Durante todo o tempo foi alvo de homenagens e honrarias, com as comendas do Defensor Público, do Benfeitor da Criança da Cidade (outorgada pela Prefeitura de Fortaleza), Amigo do Corpo de Bombeiros, do 23ª BC e da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Uma das mais importantes foi da Câmara de Deputados Federais, em Brasília, por seu trabalho em prol do Ceará e do Brasil. Em comemoração aos seus 50 anos de jornalismo, Edilmar recebeu, no Palácio Maçônico, a Comenda Dragão do Mar. Pelo mesmo motivo especial, foi aplaudido de pé pelos presentes em festa realizada pela Federação das Indústrias do Ceará (Fiec), quando recebeu placa alusiva a data. Só recebem a homenagem aqueles que se destacam no exercício da profissão, com compromisso, ética e credibilidade. 

O jornalista também recebeu a medalha do Pacificador, em reconhecimento aos serviços prestados à 10ª Região Militar e ao Exército Brasileiro. Em 2008, um documentário sobre a radiodifusão cearense destacou o seu trabalho. O vídeo mostra a trajetória de Edilmar Norões desde os primeiros anos de exercício da profissão. A diretora do documentário e professora da Universidade de Fortaleza (Unifor), Erotilde Honório, ressaltou a performance e a maneira sempre ética e espelho de dedicação.

Uma vida dedicada ao rádio e à comunicação. Essa foi a trajetória de José Edilmar Norões Coelho. Dos 80 anos de idade, 58 foram a serviço do Sistema Verdes Mares (SVM) ( Foto: Érika Fonseca )

Nenhum comentário:

Postar um comentário