quarta-feira, 6 de janeiro de 2016

Prefeito de Quixadá nega em nota pública ter sido ameaçado de morte e desmente boatos

Prefeitura de Quixadá (3)Através de Nota pública, o prefeito de Quixadá, João Hudson Bezerra, alegou que não ter sofrido ameaça de morte no incidente ocorrido na manhã desta terça-feira, 5, no Centro Administrativo da prefeitura, onde funciona seu gabinete. “O prefeito foi abordado por um homem que lhe dirigiu palavras em tom elevado de voz, chamando a atenção de outras pessoas que estavam no interior do prédio”, registra uma parte da divulgação feita pela equipe da assessoria de Comunicação do gestor municipal.

A Nota registra também que o prefeito não ficou sob a mira de uma arma e nem que havia sido amarrado. Por fim João Hudson agradece a solidariedade demonstrada por inúmeras ligações telefônicas recebidas e lamentou os boatos maldosos, inverídicos e prejudiciais que circularam e causaram tanta apreensão, principalmente aos seus familiares imediatos. Os motivos do incidente não foram revelados.

Mesmo assim, preocupada com a onda de violência na região o comando do 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM) realizou uma varredura na cidade à procura do suspeito, o qual inclusive foi identificado. Como nos casos de ameaça depende do interesse da vítima em representar criminalmente contra o autor, e não havendo confirmação do crime, seu nome não foi revelado. O próprio comandante, coronel Ednardo Calixto, seguiu até o prédio da prefeitura para averiguar a denuncia.

A princípio populares informaram à Polícia que o prefeito teria sido ameaçado quando chegou ao prédio municipal, e que o suspeito ainda teria lhe apontado uma arma de fogo. Entretanto, o tumulto ocorreu dentro do Centro Administrativo. Havia muitos servidores dentro do prédio e presenciaram o episódio. Alguns ficaram nervosos. A Polícia Civil ainda não informou se vai apurar o caso.

Caso similar em Choró Vice-prefeito foi assassinado dentro do gabinete da prefeitura

A pouco mais de mês uma situação parecida foi registrada em Choró, município vizinho a Quixadá, quando o vice-prefeito Francisco Sidney Cavalcante de Sousa, 42 anos, foi assassinado a tiros dentro do gabinete da prefeitura. O autor do crime, Francisco Roberto Oliveira, 46, acabou morrendo também. Ele consegui adentrar o prédio público com um revólver e uma acentuada quantidade de munições. A Polícia Civil já conclui as investigações. O crime foi praticado por motivos passionais. Dois dias antes Francisco Roberto havia assassinato a esposa, em Fortaleza.

Nenhum comentário:

Postar um comentário